Localização Atual

Renata Erler
Mariana Santos Guerra Jaccoud
Gilmar Gusmão Dadalto
Enio Bergoli
Leonardo Beraldo
Suelen Alvarenga
Cláudia Sabadini
Silas Brasileiro
Julia Bastos
Betina Marques
Almir Amed Deud
Stefany Sampaio Silveira
Felipe Masid
Ane Caroline de Azeredo Moreschi
Aline Camurugy
Bento Venturim
Jhenifer Zuqui
Raquel Radke
Guilhermo Modenese Recla
Cris Samorini
Isabela Lyrio Lorenzoni
Julia Pedroni Batista Bastos
Wanderson Souza
Gabriela Garcia Ribeiro
Letícia Simões
Renato Casagrande
Luiz Carlos Leonardi Bricalli
José Geraldo Ferreira da Silva
Busca
Ane Caroline de Azeredo Moreschi
José Geraldo Ferreira da Silva
Julia Bastos
Suelen Alvarenga
Wanderson Souza
Letícia Simões
Silas Brasileiro
Gilmar Gusmão Dadalto
Leonardo Beraldo
Raquel Radke
Gabriela Garcia Ribeiro
Stefany Sampaio Silveira
Felipe Masid
Renato Casagrande
Almir Amed Deud
Bento Venturim
Betina Marques
Guilhermo Modenese Recla
Mariana Santos Guerra Jaccoud
Cláudia Sabadini
Julia Pedroni Batista Bastos
Renata Erler
Luiz Carlos Leonardi Bricalli
Aline Camurugy
Cris Samorini
Isabela Lyrio Lorenzoni
Jhenifer Zuqui
Enio Bergoli
Colunista Conexão Safra.

por Felipe Masid
em 05/05/2024 às 5h00
9 min de leitura
Fotos Divulgação: Laboratório de Mecanização e Defensivos Agrícolas (LMDA)
O agronegócio é complexo e abrange uma ampla gama de atividades, desde a produção agrícola até a distribuição e comercialização dos produtos. A cadeia do agronegócio é uma sequência de atividades interligadas que envolvem a produção, processamento, distribuição e comercialização de produtos agrícolas, que abrange desde o cultivo ou criação, até o seu consumo final pelo consumidor.
Produção Agrícola ou Pecuária (Setor primário): O início da cadeia do agronegócio começa com a produção agrícola ou pecuária, onde os agricultores e pecuaristas cultivam lavouras, criam animais e produzem matérias-primas como grãos, frutas, vegetais, carne, leite, entre outros.
Processamento e Transformação (Setor Secundário): Após a produção, os produtos agrícolas são geralmente processados e transformados em produtos prontos para consumo ou para serem utilizados como ingredientes em outros produtos. Este processo envolve o beneficiamento, embalagem, conservação e transformação dos produtos brutos em alimentos processados, ingredientes alimentares, ração animal, biocombustíveis, entre outros.
Logística e Distribuição (Setor Terciário): A logística e a distribuição são partes essenciais da cadeia do agronegócio, envolvendo o transporte, armazenamento e distribuição eficientes dos produtos agrícolas processados. Isso inclui o transporte desde as fazendas para os centros de processamento, dos centros de processamento para os pontos de venda e dos pontos de venda para os consumidores finais.
Comercialização e Marketing (Setor Terciário): A comercialização e o marketing desempenham um papel importante na cadeia do agronegócio, envolvendo a promoção e venda aos consumidores finais. Isso inclui estratégias de marketing, branding, publicidade, vendas diretas e distribuição em supermercados, mercados atacadistas, feiras, restaurantes e outros pontos de venda.
Por fim, a cadeia do agronegócio termina com o consumo e utilização dos produtos agrícolas pelos consumidores finais. Isso inclui o consumo de alimentos frescos, processados ou preparados, bem como sua utilização em outras indústrias, como a indústria de alimentos, cosméticos, farmacêutica, têxtil e de energia.
Dentro desse setor dinâmico, diversas profissões desempenham papéis cruciais para impulsionar a eficiência e a inovação. Destaco algumas algumas das muitas profissões essenciais no setor do agronegócio:
Além dessas profissões tradicionais ligadas diretamente ao agronegócio, não posso deixar de citar um “case” de destaque ligado ao empreendedorismo, e por isso trago a história de Fábio Duarte, um soldador que resolveu empreender em um nicho de mercado muito interessante e curioso. Em 2017, após pedir demissão de uma empresa que trabalhava como soldador, Fábio montou a Fabinho Soldador Reformas e Manutenção em Geral, onde aplicou seu conhecimento como soldador, sua curiosidade e experiência na montagem e desmontagem de máquinas, para reformar e recuperar verdadeiras sucatas de máquinas agrícolas picadeiras de capim, fabricando artesanalmente em sua oficina, peças e partes de motores para esses equipamentos, que são usados para triturar, moer, picar e desintegrar produtos como: forragem, cana de açúcar, capim, ramas de mandioca, casca de cereais, milho entre outros, indispensável para ração animal.
Mais Conexão Safra
Como todo empreendedor brasileiro, no início Fábio tinha o único e mais importante ingrediente, a coragem, pois não tinha capital nem ferramentas. Trocou um aparelho de som numa máquina de soldas, adquiriu uma sucata de máquina picadeira de capim, restaurou inteira, tendo que fazer muitas peças novas e começou seu negócio. A empresa de Fábio (@fabiosoldador_ ) está estabelecida no Município de Rio Bonito, atendendo clientes de todo o Estado do Rio de Janeiro, porém, esporadicamente atende clientes de Minas Gerais e outros estados, pois recebe muitas indicações pelo seu trabalho diferenciado e cuidadoso, onde entrega as máquinas totalmente reformadas.
Foto: Divulgação
Sabendo da importância do equipamento, sempre procura ter um equipamento reserva para emprestar ao cliente enquanto faz a restauração, mas nem sempre é possível, pois os clientes acabam comprando sua máquina reserva quando ele entrega a máquina reformada. Seu principal diferencial é a transparência, pois faz questão de mostrar para os clientes as peças realmente danificadas e aproveita tudo que pode ser aproveitado para reduzir o investimento do cliente, registrando tudo com fotos e vídeos. Essa característica fez com que ficasse conhecido pela confiabilidade e a utilização de material com a espessura adequada, melhor que as peças que vem de fábrica, que tem menor espessura e corroem com maior facilidade. Frequentemente ouve dos seus clientes que não apenas reforma máquinas, é um “restaurador de máquinas”. O reconhecimento profissional só engrandece ainda mais esse nobre ser humano de alma boa e alegria contagiante, que muito orgulha sua família e seus amigos.
Com a Agricultura 5.0, que surgiu com o avanço da tecnologia e a grande evolução no processamento de dados na lavoura, automação dos modelos de produção, dentre outras inovações tecnológicas focadas no agro, surgiram outras profissões.
Essas profissões demonstram a crescente importância da tecnologia no agronegócio do presente e do futuro. À medida que a agricultura digital continua a se desenvolver, esses profissionais desempenharão papéis cada vez mais essenciais na melhoria da eficiência, produtividade e sustentabilidade das atividades agrícolas. Tem muito espaço para profissionais empreenderem com sucesso na cadeia do agronegócio.
 
Por: Felipe Marinho Masid, Especialista em Gestão de Agronegócios pela UFRRJ
Administrador de Empresas, Gestor de Projetos, Gestor Público – Diretor Geral de Administração e Finanças da SEPLAG. Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão.
 
Clique aqui e receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro do que acontece no agronegócio!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Todas as postagens do site podem ser reproduzidas gratuitamente, mediante a citação da fonte: PORTAL CONEXÃO SAFRA.
CONTEXTO CONSULTORIA E PROJETOS LTDA
CNPJ: 06.351.932/0001-65
Conexão Safra © 2012-2024 – Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Estúdio LOAD

source

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Recebemos sua mensagem com sucesso e nossa equipe entrará em contato em breve.