Localização Atual

Início Agricultura
PREJUÍZO CATASTRÓFICO
Estado enfrenta uma crise decorrente das intensas chuvas que assolam o estado desde o final de abril
Henrique Almeida
O Rio Grande do Sul enfrenta uma crise decorrente das intensas chuvas que assolam o estado desde o final de abril. Os impactos das inundações são sentidos especialmente no setor do agronegócio, com a colheita de importantes culturas comprometida.
Confira na palma da mão informações quentes sobre agricultura, pecuária, economia e previsão do tempo: siga o Canal Rural no WhatsApp!
Desde o dia 27 de abril, o estado tem sido castigado por chuvas persistentes e volumosas, com algumas regiões registrando números alarmantes. Os Vales, o Planalto e a Encosta da Serra superaram a marca dos 300 mm em apenas uma semana. Em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, os pluviômetros marcaram impressionantes 543,4 mm. Na capital Porto Alegre, em apenas três dias, foram acumulados 258,6 mm, equivalente a mais de dois meses de precipitação.

CENÁRIO

REFLEXOS DA TRAGÉDIA
Diversos fatores climáticos contribuíram para essa situação, incluindo o fenômeno El Niño, que aqueceu as águas do Pacífico, bloqueando frentes frias e concentrando áreas de instabilidade no RS. Além disso, a temperatura elevada no Oceano Atlântico Sul e o transporte de umidade da Amazônia exacerbaram as tempestades.
De acordo com previsões meteorológicas, um novo sistema frontal está previsto para atuar no estado na próxima quarta-feira (8), prometendo volumes expressivos de chuva nas regiões dos Vales, Metropolitana e Serra Gaúcha, com estimativas entre 150 mm e 250 mm.
O estado do Rio Grande do Sul, o segundo maior produtor de soja do Brasil, enfrenta sérios problemas devido às enchentes. Antes das inundações, os trabalhos de colheita estavam em 70% da área total cultivada. No entanto, os 30% restantes, representando cerca de 2 milhões de hectares e 6,5 milhões de toneladas, ainda não haviam sido colhidos.
Essa situação coloca em risco 5% da safra estimada para o país, que é de 147 milhões de toneladas. O mercado internacional já reage às possíveis perdas, com as cotações futuras em Chicago mantendo-se elevadas, com um prêmio de risco. A contabilização das perdas nas áreas não colhidas continuará a influenciar os preços.
O arroz, outra cultura fundamental para a economia gaúcha, também sofre com as chuvas. Com 78% da área total colhida, ainda restam cerca de 200 mil hectares e 1,6 milhão de toneladas sob risco. Esse volume representa expressivos 16% da safra estimada para o país.
No caso do milho, a colheita da safra de verão foi paralisada devido ao excesso de chuvas e alagamentos, afetando cerca de 27% da área total plantada no estado. Essas condições de risco representam 6% da 1ª safra estimada para o país.
Além das culturas agrícolas, a cadeia produtiva de carnes também está sofrendo com os efeitos das enchentes. Dificuldades no acesso a ração e insumos essenciais, bem como no transporte de animais devido a estradas bloqueadas, estão afetando os produtores. A programação de abates nos frigoríficos está sendo impactada, e alternativas como levar aves e suínos para outras unidades são consideradas, embora não resolvam completamente os desafios logísticos.
Fonte: Cogo Inteligência em Agronegócio

ATENÇÃO
Além das chuvas fortes, o Inmet também ressalta a possibilidade de queda de granizo e ventos acima de 100 km/h

PREPARE-SE
O Inmet emitiu alertas de tempestade. Existem riscos associados às chuvas intensas, incluindo ventos fortes, raios e queda de granizo.

LUTO
Em nota, a entidade diz que Andréa dedicou 29 anos de sua vida ao Senar, “onde construiu uma carreira de contribuição para a formação profissional e orientação técnica de produtores e trabalhadores rurais”

PREPARE-SE
De acordo com o Inmet, Santa Catarina e Rio Grande do Sul podem sofrer as consequências de microexplosão atmosférica

PREPARE-SE
Infiltração marítima ajuda na formação de nuvens carregadas e em toda a costa leste chove a qualquer momento do dia

PREPARE-SE
Além das chuvas, a passagem da frente fria vai provocar rajadas de vento que podem ultrapassar os 70 km/h, com possibilidade de granizo
Logo da Newsletter Newsletter
Sinta-se no campo com as notícias mais atualizadas sobre o universo do agronegócio. Assine nossa newsletter

MERCADO
Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam em alta de 33,75 centavos de dólar, ou 2,8%, a US$ 12,48 3/4 por bushel

OUVINDO ESPECIALISTAS
Os seis capítulos abordam desde clima ao armazenamento da produção nacional. Acompanhe

SOCORRO
Iniciativas refletem a união e solidariedade do setor diante dos desafios enfrentados pelas comunidades

PREJUíZOS
De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), dez unidades produtoras de carne de frango e suíno estão atualmente paralisadas

COTAÇÕES
Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com alta de 28,75 centavos dedólar, ou 2,45%, a US$ 11,99 por bushel

AMPARO
O banco também doará R$ 400 mil para as vítimas da tragédia, via Fundação BB
Canal Rural © 2024 Todos os direitos reservados.

source

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Recebemos sua mensagem com sucesso e nossa equipe entrará em contato em breve.