Localização Atual

Veículo projetado para transportar alimentos para as grandes cidades venceu concurso inédito de inovação
Solução propõe suavizar os trajetos feitos do campo até a cidade por agricultores familiares
Mobilidade para produtores rurais. Esse é o objetivo do projeto idealizado pelo estudante do curso de design da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Voronoff Starling. A proposta foi a vencedora do Desafio automotive business diversidade, concurso de inovação que engaja jovens no desenvolvimento de uma solução que agregue valor ao setor automotivo e da mobilidade. 
 
O aluno elaborou um veículo funcional de formas retas capaz de transportar alimentos para as grandes cidades com agilidade e percorrer trechos fora de estrada. Com amplo espaço interno para o transporte dos alimentos, o trabalho é uma solução de mobilidade que tem o objetivo de facilitar o deslocamento de alimentos produzidos por pequenos produtores rurais. O projeto também foi apresentado em seu trabalho de conclusão de curso (TCC), em dezembro de 2023, e aprovado com nota máxima pela banca examinadora.
 
Voronoff conta que morou até os 16 anos em uma cidade pequena em Minas, com seus pais e seu irmão. Neste período sempre observava o trabalho de sua mãe, que sempre cozinhou muito bem, segundo ele, e vendia seus produtos nas feiras locais, hoje denominado FeiraLivre. “Só que ela sempre dependeu do meu pai para realizar esse transporte, o que muitas vezes era um desafio”, relembra o estudante. 
 
 

 
“No Brasil chove muito, e as estradas necessitam de bastante manutenção para o transporte fluir durante todo ano. Foi assim que identifiquei o problema que decidi abordar: a capacidade de transportar os produtos da zona rural para as cidades”, ele acrescenta.

 
Depois de alguns levantamentos, Starling percebeu que outros agricultores familiares passavam pela mesma situação ou pior. “Pensando assim, eu hipotizei um sistema que é fomentado pelo governo, ligado ao movimento FeiraLivre e ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Mas para que isso aconteça, também explorei uma nova mobilidade para ter foco em transportar mercadorias dos agricultores, visto que as mobilidades existentes deveriam ser adaptadas para encarar o território agrícola e as demandas de transporte”, explica.

 
Para desenvolver seu trabalho, Voronoff se baseou na Arrival, montadora especializada em mobilidade ligada ao trabalho. Ele diz que seu trabalho é “uma visão da Arrival para o mercado da América do Sul”. A  montadora chamou sua atenção pela atuação ligada ao trabalho e função. “Eles trabalham com veículos de nicho que em grande maioria não são capturados pelas grandes montadoras”, comenta. 

 
 Leia também: UFMG vê denúncia dos organizadores da Stock Car como ‘cortina de fumaça’
 
O processo de ida e vinda até um centro urbano pode ser solucionado pela mobilidade proposta por Starling. “Quando vem da cidade, já pode levar os insumos necessários para cada agricultor iniciar ou fazer a manutenção do seu plantio”, defende. 
 

O automóvel foi pensado para suportar o território agrícola, cumprir as demandas de transportar os produtos a frio e a quente e facilitar o ponto de venda

O automóvel foi pensado para suportar o território agrícola, cumprir as demandas de transportar os produtos a frio e a quente e facilitar o ponto de venda

Divulgação

O automóvel foi pensado para suportar o território agrícola, cumprir as demandas de transportar os produtos a frio e a quente e facilitar o ponto de venda

Divulgação

 
O carro desenvolvido visa suavizar o trajeto dos usuários, no entanto, só terá um bom efeito quando for inserido em uma jornada sistêmica. “Precisamos entender quem vai financiar, quem vai produzir e quem vai utilizar no início do processo(agricultores) e no fim do processo(consumidores).”
 
 Leia também: Stock Car denuncia UFMG pelo corte ilegal de 5 mil árvores
 
Além disso, o aluno enfatiza que a forma de adquirir a ferramenta também deve ser explorada, uma vez que a renda média mensal dos agricultores familiares é relativamente baixa. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), R$ 1.415 por domicílio rural. “Essa mobilidade poderia ser financiada parte pelo Governo e uma pequena fração pelo agricultor em modelo de rentabilidade”, reitera.
 
Starling, que trabalha na área de design da Stellantis, grupo automotivo franco-ítalo-americano multinacional, comenta ainda a importância da profissão na solução de desafios diários. “Utilizei este trabalho de conclusão para aprofundar meu entendimento sobre como podemos aplicar os processos de construção de um automóvel para tentar resolver um problema muito importante: a alimentação.” 
 
Embora seja uma possível solução, o aluno afirma que há muito a se considerar para que se torne realidade, mas conclui que “o pensamento de resolver não apenas o problema enfrentado por minha mãe, mas o de muitos outros, me deixa mais feliz e encorajado”.
 
 
 
 
 
 
Voltar ao Topo
© Copyright 2024 Diários Associados. Todos os direitos reservados.

source

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Recebemos sua mensagem com sucesso e nossa equipe entrará em contato em breve.