Localização Atual

Jornal Dia Dia
Em reunião promovida pelo parlamentar sul-mato-grossense, ministro da Agricultura anunciou medidas para socorrer o setor a partir deste mês
Sob a iniciativa do senador Nelsinho Trad, acompanhado pelo deputado estadual Pedro Pedrossian Neto, ambos do PSD/MS, uma reunião estratégica foi conduzida hoje, com o governador Eduardo Riedel (PSDB) e líderes do setor produtivo de Mato Grosso do Sul e o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro (PSD/MT), para enfrentar a crise no agronegócio. O encontro resultou em novas medidas para redução de impactos econômicos no setor. 
A associação de Produtores de Soja e Milho (Aprosoja/MS) alerta para a queda na produtividade da safra de soja, que será 13,5% menor que a safra 2022/2023, com uma produção de 13,8 milhões de toneladas (7,92% menor em relação à safra 2022/2023). “Mesmo com os custos operacionais um pouco menores, a redução mais acentuada nos preços de venda compromete a margem de lucro e afeta a capacidade de pagamento dos produtores rurais. Essa discrepância entre a receita e os custos de produção cria dificuldades financeiras para os agricultores, gerando impactos não apenas em suas operações, mas também na economia regional como um todo”, explica o senador Nelsinho Trad. 
Dados da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul também apontam que o setor pecuário enfrenta desafios. “A principal referência de preço da pecuária no MS, a Cotação de Arroba Famasul, apresenta desvalorização de 30% entre os anos de 2022 e 2024”, aponta documento da federação. 
Durante a reunião, o ministro Fávaro anunciou uma linha emergencial para capital de giro e a prorrogação das parcelas de investimentos em setores-chave como soja, milho, pecuária e leite. As iniciativas visam a aliviar os impactos das adversidades climáticas e da queda nos preços das commodities sobre os agricultores, garantindo sua sustentabilidade financeira.  
Linha emergencial                                                                                    
O ministro Fávaro defende que a linha emergencial vai proporcionar um alívio imediato aos produtores de soja, milho e pecuária de corte e bovina, que foram duramente afetados. “Uma linha de crédito extremamente ampla em reais e dólar. Este capital de giro pode ser tanto para o produtor como também fornecedor, parceiro de insumo, a revenda. O produtor pode falar que não tem mais garantia pra dar, mas a revenda tem, então, ela prefere tomar o dinheiro e financiar o cliente dela. Essa linha vai ser totalmente flexível e será ainda mais ampla, para aquele produtor que vinha capitalizado e, nestes anos, descapitalizou. Ela terá dois anos para carência, o produtor pega dinheiro no banco, compra seu insumo à vista”.
Fávaro anunciou ainda a prorrogação das parcelas de investimentos para os setores mencionados, afirmando que “teremos os investimentos prorrogados em 2024 com o pagamento de juros, e a proposta é diluir as prestações de 2024 nas próximas, durante os próximos anos. Isso permitirá que os produtores enfrentem a crise de forma mais sustentável, sem comprometer ainda mais suas finanças.”
As medidas, devem ser oficializadas em 15 dias. “Temos recebido relatos de produtores que estão à beira da recuperação judicial, precisamos que haja garantias de que as medidas anunciadas serão implementadas”, respondeu o presidente da Famasul, Marcelo Bertoni.
Para o governador Eduardo Riedel, “a situação é grave, não será a primeira nem a última, mas estamos ai. É claro que em um momento como esse e no mundo em que estamos vivendo, a dimensão do impacto é outra. As medidas anunciadas são viáveis pelo sistema. Ótimo é inimigo do bom. Muitas vezes o que o produtor deseja não vai ser viável. Queremos nos colocar à disposição para que a gente possa apoiar as iniciativas do ministério”.
O deputado estadual Pedro Pedrossian Neto reforçou a resiliência do agricultor sul-mato-grossense diante das adversidades, destacando a importância do diálogo e da cooperação entre os diversos atores envolvidos. “Vamos replicar aos produtores que nos procuraram. Não é a primeira crise, não será a última; o agricultor é resiliente e parabéns pela visão sobre o setor”, afirmou ao ministro.
“A crise atual exige ações concretas e eficazes para garantir a sobrevivência dos nossos agricultores e pecuaristas. Estamos lidando com uma combinação catastrófica de fatores, que requer uma resposta urgente e coordenada. É hora de deixarmos nossas diferenças de lado e nos unirmos em prol do agronegócio. Estou comprometido em continuar promovendo o diálogo e buscando soluções que beneficiem nossos produtores e impulsionem nossa economia,” destacou o senador Nelsinho Trad.
Neiba Yukime Ota Marinho

source

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Recebemos sua mensagem com sucesso e nossa equipe entrará em contato em breve.