Localização Atual

Fique por dentro de tudo que acontece em MG
O TEMPO Newsletter

Siga O TEMPO nas Redes Sociais  
O TEMPO NEWS

Clique e participe do nosso canal no WhatsApp
Participe do canal de O TEMPO no WhatsApp e receba as notícias do dia direto no seu celular
No primeiro trimestre de 2024, o Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais cresceu 0,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior, totalizando R$ 253,8 bilhões. Deste total, as atividades agropecuárias (agricultura, pecuária e produção florestal) somaram R$15,3 bilhões; das indústrias, R$66,6 bilhões e, dos serviços, R$141,2 bilhões, além dos impostos indiretos sobre produtos, que adicionaram R$30,7 bilhões aos preços pagos pelos consumidores.
Os números foram divulgados pela Fundação João Pinheiro (FJP) nesta segunda-feira, dia 1 de julho. A expansão do PIB real nos três primeiros meses do ano foi puxada pelos resultados positivos das indústrias, do comércio e dos transportes. Se comparado ao desempenho da economia mineira no mesmo período do ano passado, 2023, o crescimento registrado foi de 2,9%.
Segundo a FJP, nos três primeiros meses de 2024, a agropecuária de Minas Gerais teve retração de -1,2% em comparação com o trimestre anterior.  “A produção agrícola não tem uma distribuição uniforme, por isso o resultado de cada trimestre é influenciado pelo desempenho das lavouras de milho, café, soja e cana-de-açúcar, por exemplo.  Entre os três últimos meses de 2023 e os três primeiros de 2024, portanto, o maior peso da safra de cana-de-açúcar foi substituído pelo maior peso da safra atual de soja e milho”, descreve a FJP.
Ainda segundo os pesquisadores, em movimento contrário, na pecuária houve recuperação da produção do leite cru adquirido de estabelecimentos locais e, na produção florestal, aumento da demanda de produtos de papel e celulose e da siderurgia estadual.
Compostas pelas indústrias extrativas, de transformação, da construção e pelos serviços industriais de utilidade pública (geração e distribuição de eletricidade, gás, água e saneamento), as atividades industriais representam mais de um quarto da economia estadual. No primeiro trimestre de 2024, a produção das indústrias extrativas de Minas Gerais foi 6,7% maior do que a registrada para o trimestre imediatamente anterior. Na comparação com o mesmo trimestre em 2023, foi 7,2% maior.
As indústrias de transformação tiveram aumento, no 1º trimestre de 2024, na fabricação de produtos alimentícios, de papel e celulose, de minerais não-metálicos, da siderurgia, de veículos e de combustíveis.  Por outro lado, houve diminuição na fabricação de produtos do fumo, de químicos e de máquinas e equipamentos no período.
Nas atividades de geração e distribuição de eletricidade, gás, água e saneamento a diminuição do consumo total de eletricidade em Minas Gerais, se comparada ao trimestre imediatamente anterior, foi compensada pela expansão na geração de eletricidade.
Responsáveis por cerca de dois terços da economia mineira, os serviços são compostos pelas atividades do comércio, dos transportes (incluindo armazenagem e correios), da administração pública e do agrupamento dos outros serviços. No primeiro trimestre de 2024, o aumento do volume de vendas no comércio de vestuário, farmacêuticos e veículos automotores compensou a retração nos segmentos de combustíveis, de hipermercados, e de produtos de informática. As atividades de serviços de informação e comunicação, de serviços prestados às famílias e turísticos apresentaram expansão no volume de serviços em Minas no primeiro trimestre de 2024. Por outro lado, houve retração no volume de serviços profissionais, científicos, técnicos e administrativos.
De acordo com o estudo realizado pela FJP, as previsões são de queda na produção agrícola em função dos recentes eventos climáticos. Por outro lado, há sinais de que o bom desempenho do mercado de trabalho e a redução nas taxas de juros dos financiamentos possam viabilizar uma recuperação mais rápida da atividade econômica nos setores da construção e do comércio.
Os pesquisadores avaliam também que, dependendo da demanda de exportações de commodities minerais e agrícolas, eventuais surpresas positivas poderão acontecer. 
 
O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.
Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!
  Configuração de Cookies
O portal O TEMPO, utiliza cookies para armazenar ou recolher informações no seu navegador. A informação normalmente não o identifica diretamente, mas pode dar-lhe uma experiência web mais personalizada. Uma vez que respeitamos o seu direito à privacidade, pode optar por não permitir alguns tipos de cookies. Para mais informações, revise nossa Política de Privacidade.
Definir Cookies
Cookies operacionais/técnicos: São usados para tornar a navegação no site possível, são essenciais e possibilitam a oferta de funcionalidades básicas.
Eles ajudam a registrar como as pessoas usam o nosso site, para que possamos melhorá-lo no futuro. Por exemplo, eles nos dizem quais são as páginas mais populares e como as pessoas navegam pelo nosso site. Usamos cookies analíticos próprios e também do Google Analytics para coletar dados agregados sobre o uso do site.
Os cookies comportamentais e de marketing ajudam a entender seus interesses baseados em como você navega em nosso site. Esses cookies podem ser ativados tanto no nosso website quanto nas plataformas dos nossos parceiros de publicidade, como Facebook, Google e LinkedIn.
Siga O TEMPO nas Redes Sociais  

source

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Recebemos sua mensagem com sucesso e nossa equipe entrará em contato em breve.